Sexta-feira, 9 de Maio de 2008
Mar...

 

 
 
Quando estou mal disposta…
Gosto de ir á praia…
Respiro ar puro…
E nesse momento não penso em mais nada.
A água e a areia…
Gosto deste conjunto…
Gosto de apanhar sol,
Gosto de ir para o mar…
Adoro ir para a água…
O meu maior desejo é ir ao fundo do mar…
E ver o que lá existe…
Algum dia o meu sonho se vai concretizar?
A pergunta fica no mar!!!

tags:

publicado por Andreia às 10:46
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Sexta-feira, 2 de Maio de 2008
A montanha...
 
O Amor é como subir uma montanha podemos chegar lá sem ferimentos como nunca chegar.
Pelo caminho apanhámos frio, chuva, neve, rochas gigantes... e muitas vezes pensamos em desistir... Podemos tropeçar em muitas dessas rochas, cair, sofrer e começar tudo do zero, mas se conseguir-mos chegar lá cima e olharmos para tudo o que passamos, o esforço é de certeza recompensado, e quando esse dia chegar vemos o sol nascer lindo e brilhante...
 
 


publicado por Andreia às 10:56
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Eu
                     
 
Eu sou aquela que no mundo anda perdida,
Eu sou a que na vida não tem norte,
Sou irmã do Sonho, e desta sorte
Sou a crucificada… a dorida…
 
Sombra de névoa ténue e esvaecida
E que o destino amargo, triste e forte
Impele brutalmente para a morte!
Alma de luto sempre incompreendida!...
 
Sou aquela que passa e ninguém vê…
Sou a que chamam triste sem o ser…
Sou a que chora sem saber porquê…
 
Sou talvez a visão que Alguém sonhou,
Alguém que veio ao mundo pra me ver
E nunca na vida me encontrou!
                                                                Florbela Espanca

tags:

publicado por Andreia às 10:54
link do post | comentar | favorito

Pobrezinha
                        
Nas nossas duas sinas tão contrárias
Um pelo outro somos ignorados!
Sou filha de regiões imaginárias,
Tu pisas mundos firmes já pisados.
 
Trago no olhar visões extraordinárias
De coisas que abracei de olhos fechados...
Em mim não trago nada, como os párias...
Só tenho os astros, como deserdados...
 
E das tuas riquezas e de ti
Nada me deste e eu nada recebi
Nem um beijo que passa e consola
 
E o meu corpo, minh`alma e coração
Tudo em risos pousei na tua mão! ...
...AH! Como é bom um pobre das esmola! ...
                                                     Florbela Espanca
 
 
 

tags:

publicado por Andreia às 10:52
link do post | comentar | favorito

Pequenina
                
 
És pequenina e ris… A boca breve
É um pequeno idílio cor-de-rosa…
Hasta de lírio frágil e mimosa!
Cofre de beijos feito sonho e neve!
 
Doca quimera que a nossa alma deve
Ao céu que assim te fez tão graciosa!
Que nesta vida amarga e tormentosa
Te fez nascer com um perfume leve!
 
Ao ver o teu olhar faz bem à gente…
E cheira e sabe, a nossa boca, a flores
Quando o teu nome diz, suavemente…
 
Pequenina que Mãe de Deus sonhou,
Que ela afaste de ti aquelas dores
Que fizeram de mim isto que sou!

tags:

publicado por Andreia às 10:50
link do post | comentar | favorito

Conto de fadas
                  
 
Eu trago-te nas mãos o esquecimento
Das horas más que tens vivido, Amor!
E para as tuas chagas o unguento
Com que sarei a minha própria dor.
 
Os meus gestos são ondas  sorrento ...
Trago no nome as letras duma flor...
Foi dos meus olhos garços que um pintor
Tirou a luz para pintar o vento...
 
Dou-te o que tenho: o astro que dormita,
O manto dos crepúsculos da tarde,
O sol que é de oiro, a onda que palpita.
 
Dou-te, comigo, o mundo que Deus fez!
Eu sou Aquela de quem tens saudade,
A princesa do conto « Era uma vez...»
 
                                                          Florbela Espanca

tags:

publicado por Andreia às 10:47
link do post | comentar | favorito

Em busca do Amor
                     
O meu Destino disse-me a chorar:
«Pela estrada da Vida vai andando,
E, aos que vires passar, interrogando
Acerca do Amor, que hás-de encontrar.»
 
Fui pela estrada a rir e a cantar,
As contas do meu sonho desfiando...
E a noite e dia, à chuva e ao luar,
Fui sempre caminhando e perguntando...
 
Mesmo a um velho eu perguntei. «velhinho,
Viste o meu Amor ao acaso em teu caminho?»
W o velho estremeceu... olhou... e riu...
 
Agora pela estrada, já cansados,
Voltam todos pra trás desatinados...
E eu paro a murmurar: «Ninguém o viu passar...»
                                                        Florbela Espanca

tags:

publicado por Andreia às 10:44
link do post | comentar | favorito

Lágrimas ocultas
                    
 
Se me ponho a cismar em outras eras
Em que ri e cantei, em que era querida,
Parece-me que foi noutras esferas
Parece-me que foi outra vida.
 
E a minha triste boca dorida,
Que dantes tinha o rir das primaveras,
Esbate as linhas graves e serena
E cai num abandono de esquecida
 
E fico, pensativa, olhando o vago…
Toma a brandura plácida dum lago
O meu rosto de monja de marfim…
 
E as lágrimas que choro, branca e calma,
Ninguém as vê brotar dentro da alma!
Ninguém as vê cair dentro de mim!
                                                       Florbela Espanca
 
 

tags:

publicado por Andreia às 10:41
link do post | comentar | favorito

Alma perdida
Toda esta noite o rouxinol chorou,
Gemeu, rezou, gritou perdidamente!
Alma de rouxinol, alma de gente
Tu és, talvez, alguém que se finou!
 
Tu és, talvez um sonho que passou,
Que fundiu a dor, suavemente…
Talvez sejas a alma, a alma doente
Dalguém que quis amar e nunca amou.
 
Todas a noite choras-te.. e eu chorei
Talvez porque, ao ouvi-te, adivinhei
Que ninguém é mais triste do que nós!
 
Contaste tanta coisa à noite calma,
Que eu pensei que tu era a minh`alma
Que choraste perdida era a tua voz! ...
                                      
                                         Florbela Espanca

tags:

publicado por Andreia às 10:37
link do post | comentar | favorito

A Vida
                         
É bom o amor, ódio, ou o desdém;
Inútil o desejo e o sentimento...
Lançar um grande amor aos pés de alguém
O mesmo que lançar flores ao vento!
 
Todos somos no mundo «Pedro sem»,
Uma alegria é feita dum tormento,
Um riso é sempre o eco dum lamento,
Sabe-se lá um beijo de onde vem!
 
A mais nobre ilusão morre... desfaz-se...
Uma saudade morta em nós renasce
Que no momento é já perdida...
 
Amar-te a vida inteira eu não podia
A gente esquece sempre o bem um dia
Que queres, meu amor, se é isto a vida!...
                                                            Florbela Espanca


publicado por Andreia às 10:30
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim
.Dezembro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


.posts recentes

. O valor...

. Protestação

. Voltei...

. Músicas

. Felicidade...

. Flor...

. Música para sonhar

. Mar...

. A mon...

. Eu

.arquivos

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Fevereiro 2008

.tags

. todas as tags

.links
.pesquisar
 
blogs SAPO
.subscrever feeds